Amamentação e Aleitamento: afinal, por que são tão importante?

Amamentação e aleitamento Materno

Mais do que uma forma de nutrir o bebê, o aleitamento materno representa um dos maiores atos de conexão entre mãe e filho. Além de ser sinônimo de cuidado, é uma forma de aproximar mãe e bebê e de trazer inúmeros benefícios para ambos.

Para as mães de primeira viagem e mesmo para as mais experientes, é importante saber mais sobre o processo de amamentação. Ao ter contato com as orientações e técnicas corretas, você consegue garantir ainda mais conforto e segurança durante essa fase da vida.

Afinal, este post é destinado a todas as mamães que querem ficar por dentro desse assunto. Então, continue lendo e descubra dicas fundamentais sobre o aleitamento materno.

O que é aleitamento materno?

O aleitamento materno é o processo de alimentação dos bebês com o leite produzido pela mãe (leite materno). Ele pode ser dado à criança diretamente do seio (processo chamado de amamentação) ou oferecido ao pequeno por meio de colher, copinho e/ou mamadeira.

Nos primeiros meses de vida, essa deve ser a única forma de alimentação da criança, já que o leite materno é completo. Além de ser perfeito para as necessidades nutricionais da criança, ele oferece os anticorpos para mantê-la protegida de infecções e até mesmo do desenvolvimento de doenças crônicas como diabetes e hipertensão.

Amamentação e aleitamento

O que muita gente não sabe é que existe uma pequena diferença entre amamentação e aleitamento. Então a amamentação é o ato de oferecer o leite materno por meio do contato direto com o seio da mãe por meio da sucção.

Salvo  que, o aleitamento materno, por sua vez, é o ato de alimentá-la com o leite, independentemente da forma como esse alimento é oferecido.

Importância do aleitamento materno

Mesmo reconhecendo a importância do aleitamento materno, muitas pessoas não sabem quais são os benefícios que esse ato traz ao bebê e também à mãe. A proteção contra doenças é o maior deles. Por meio do aleitamento, o bebê recebe anticorpos que impedem o surgimento de alergias, infecções e problemas de saúde diversos – desde diarreia até meningite.

Outrossim, o desenvolvimento do bebê também é favorecido pelo aleitamento materno. Os dentes e músculos da face são impactados pela amamentação, e isso auxilia na fala e na regulação da respiração.

Além de melhorar a estrutura facial, o bebê que se alimenta de leite materno também tem os ossos de todo o corpo fortalecidos.

Quem pensa que é apenas o bebê que recebe benefícios, está enganado. O aleitamento materno é positivo também para a mãe e isso já pode ser observado no pós-parto.

Existem inúmeros motivos que fazem da amamentação um ato benéfico para a mulher. Os cinco principais são:

  • Maior facilidade para voltar ao peso normal após a gestação.
  • Redução das chances de hemorragia pós-parto.
  • Relação entre a amamentação e a prevenção de doenças – como câncer de mama e ovário, diabetes e hipertensão.
  • Liberação de endorfina no ato da amamentação, que aumenta a sensação de bem-estar e ajuda a evitar doenças como depressão pós-parto.
  • Conexão criada com o bebê a partir desse hábito rotineiro.

Além disso, para que tantos benefícios sejam possíveis para o bebê, é preciso adotar o aleitamento materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida.

Isso significa que, exceto em casos específicos – em que o uso de fórmulas seja indicado pelo médico, por exemplo –, o leite materno deve ser o único alimento oferecido durante esse período.

Essa recomendação é feita por órgãos como a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde. Isso porque, com um alimento completo como esse, não é necessário nenhum complemento.

Portanto, após essa fase, outros tipos de alimentos podem ser incluídos. O pediatra do pequeno poderá aconselhar melhor o que incluir na introdução alimentar e também como fazer isso.

Fonte: Unimed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima