Colostomia: o que é e para que serve

Colostomia

Luciano Szafir desfilou, recentemente, em São Paulo Fashion Week com sua bolsa de colostomia. Isso gerou dúvidas sobre o que é colostomia e por que uma bolsa de colostomia é necessária.

A colostomia é um tipo de ostomia que consiste na ligação do intestino grosso diretamente à parede do abdômen, permitindo a saída de fezes para uma bolsa, quando o intestino não pode ficar ligado ao ânus.

Isto normalmente acontece após cirurgias para tratar problemas no intestino, como câncer ou diverticulite, por exemplo.

Embora a maior parte das colostomias sejam temporárias, pois geralmente só são utilizadas para facilitar a cicatrização do intestino após a cirurgia, algumas podem ser mantidas por toda a vida, especialmente quando é preciso remover uma parte muito grande do intestino, que não permite voltar a ligar ao ânus.

É normal que o local na pele onde foi ligado o intestino , conhecido como estoma, fique muito vermelho e inchado, depois da cirurgia de colostomia, pois o intestino está ferido, porém, esses sinais vão diminuindo ao longo da primeira semana com os tratamentos feitos pelo enfermeiro.

Quando a colostomia é indicada

A colostomia é indicada pelo médico quando são identificadas alterações no intestino grosso de forma que as fezes não conseguem ser eliminadas corretamente pelo ânus. Assim, a colostomia é indicada após de realização de cirurgias para câncer de intestino, diverticulite ou doença de Crohn.

A colostomia ascendente, transversa ou descendente, pode ser feita de acordo com a porção do intestino grosso, além de também poder ser temporária ou definitiva, em que a porção do intestino afetada é removida permanentemente.
Como a colostomia é feita no intestino grosso, as fezes liberadas são normalmente moles ou sólidas e não são tão ácidas como o que acontece na ileostomia, em que é feita a ligação entre o intestino delgado e a parede abdominal.

Fonte: Tua Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima